Homero e a Guerra de Troia

No inicio de março, aqui no site da Red Dragon, conversamos um pouco sobre as origens de H.P.Lovecraft, pois ele é um dos temas das revistas que estão atualmente em pré-venda pela editora. Outra obra que está com sua pré-venda aberta até o dia 31 de março é O Sangue dos Mortais (Il Sangue del Mortali, publicada originalmente na edição 58 de Le Storie) com roteiro de Giancarlo Marzano e desenhos de Tommaso Bianchi o leitor terá oportunidade de participar de uma aventura de ficção histórica inspirada nas narrativas de Homero sobre a Guerra de Troia.


Mas o que foi a Guerra de Troia? Ela realmente aconteceu? Nesse breve artigo quero levantar algumas provocações sobre esses questionamentos que assombram as pessoas desde a redescoberta das ruínas da cidade de Troia mencionadas nos textos do autor grego no século XIX. Homero, inclusive que pode também nem ter existido. Então acomode-se na cadeira e aproveite a viagem.



Segundo a mitologia grega, a Guerra de Troia aconteceu depois que Páris de Troia conquistou Helena e a levou para longe de seu marido Menelau, o rei de Esparta. Esse conflito que ora tem a presença de deuses como Afrodite, Zeus e Hera, ora é resultado apenas de embates humanos, deixou fragmentos de registros em várias obras gregas e romanas, dentre eles a principal se encontra no ciclo composto por Ilíada e Odisseia de Homero.


Com uma cronologia de difícil precisão, vários pesquisadores ao longo dos anos tentaram descobrir em que momento a guerra teria acontecido e qual sua localização. Os textos forneceram pistas ao informar nomes que temos confirmação histórica, mas apenas no século XIX que vestígios materiais indicando a veracidade desta guerra foram encontrados.



As dúvidas em relação ao conflito ter sido um evento histórico ou mitológico ainda são temas em aberto e eles são construídos a partir de várias fontes contemporâneas ao período que teriam surgido as narrativas da Ilíada e da Odisseia. Muitos destes textos inclusive trazem descrições contraditórias, bem como o recorte temporal retratado pelas obras de Homero são bem restritos e passam longe dos dez anos que teria se prolongado o conflito. Ainda assim, os textos homéricos continuam como linha principal para compor esse cenário, mas com admitindo que os registros possivelmente seriam uma síntese de vários contos de cercos e expedições de gregos durante a Idade do Bronze.


Como mencionado, outra provocação que q